tudo 2

“Tudo tu podes, mas nem tudo lhe convém o tempo todo!”

Sabe aquele ditado: “nada é de graça”?

Pois é… Todo bônus requer um ônus.

Você só precisa escolher como vai pagar (ônus) por ele (bônus). E as moedas de troca são diversas, pois o bônus desejado vai lhe custar:

Seu tempo

Seu dinheiro

Sua dedicação

Sua saúde

Sua felicidade

(…) A questão é que você precisa saber o que quer e o quanto está disposto a pagar por isso, independente da(s) moeda(s) que serão investidas.

Uma coisa é certa, essa escolha não pode tirar a sua paz. Se tirar, provavelmente não vai dar certo.

Por isso a melhor dieta pra você é a que você consegue fazer. Essa será sustentável, assim como os resultados que a mesma traz. Porque você está em paz e feliz com suas escolhas.

Entenda: não existe mágica!

Todos querem o bônus, mas não querem arcar com o ônus.

É por isso que o mercado das soluções mágicas, enriquece pegando tanto trouxa, com café, shake, farinha, chá ou outros com o grande benefício milagroso: emagrecedor. 🤷🏻‍♀️

doce

Para sentir menos vontade de DOCES, coma mais AMARGOS

No consultório é quase sempre a mesma história: “Nutri, o MEU PROBLEMA É O DOCE!”, “Como faço para reduzir a vontade de DOCE?” … Acredite, preferências alimentares são aprendidas, e esse aprendizado começa desde quando éramos fetos, influenciados pelas escolhas de nossas mães. .

Sobre a questão comportamental, é assunto para um próximo post. Vamos AO QUE INTERESSA!

.

Para sentir menos VONTADE DE DOCES:

1. Inclua mais alimentos AMARGOS e AZEDOS na sua alimentação. Adapte à rotina! Sempre leio/ouço de quem faz o #desafiodocafésemaçúcar que passou a comer menos doces, que mudou o paladar e que agora gosta ainda mais de café. Sabe por que isso acontece? O paladar perdeu a referência de “super doce”, passou a ser mais sensível à pequenas doses de adoçante, e assim requer menos açúcar ou estimulantes de papilas p/ sinalizar a percepção do sabor, logo, naturalmente essa pessoa vai comer menos açúcar no hábito. Continuará gostando de doces, mas não TÃO doce. Se voltar a comer mais doce, a referência de açúcar aumenta, as papilas vão ficando menos sensíveis e acabam sempre pedindo mais. Ou seja, tu estás no controle! O doce não é o problema, a forma como lidamos com nossas escolhas é.

2. Experimente os alimentos in natura em suas diversas fases e formas: sem nenhum processamento ou ação térmica (cru), cozido, assado, grelhado… sem temperos e com temperos. Faça isso (além de comer mais amargos e azedos) sempre que possível, pois te ajudará a aumentar a tua paleta de sabores.

SUGIRO: Faça um teste com o chocolate (de maior teor de cacau), com o café (beba amargo), ou com outros alimentos que costumas adicionar adoçantes (artificiais/açúcares). Não vai ser gostoso (confortável) no início, mas depois de um tempo, tu ficarás impressionado(a) com o sabor real dos alimentos e começarás a gostar de alimentos e combinações que nunca imaginou. É o tal do prazer em sentir mais sabor no mais simples. Fazendo escolhas de coração, em paz e sem privação.

Sabem aquela frase que eu sempre digo né? Vamos ver quem é seguidor sabido do “processo” ou “jornada” 🤔.