Captura de Tela 2019-04-25 às 14.23.16

Dieta, por onde eu começo?

Comece simples, em firulas e sem desculpas, se QUER, faça o que tem que ser feito!

⠀⠀

1 Trabalhe com o que tem, não precisa começar fazendo perfeito. APENAS COMECE AGORA! ⠀⠀

⠀⠀

2 Reduza o consumo de #açúcar. Tanto do doce (açúcar mesmo, mel, doces em geral) como do açúcar não doce (amido, presente em farinhas de grãos e de raízes). ⠀⠀

⠀⠀

3 Prefira comida de verdade e inteira. ATENÇÃO: não precisa ter medo da gordura naturalmente presente no alimento (laticínios, carnes e ovos em geral, bem como de frutos). ⠀⠀

4 Evite industrializados, altamente processados e produtos com ingredientes impronunciáveis ou que sua avó não reconheceria. ⠀⠀

⠀⠀

5 Baseie sua alimentação em vegetais. ⠀

⠀⠀⠀⠀

6 Prefira: Carnes, peixes, aves, ovos, vegetais, raízes e frutas, AO INVÉS DE: embutidos industrializados como: presunto, salsicha, linguiça (só consuma se forem artesanais) E também, pães e massas (FARINHAS), miojo, cereal matinal, nuggets, produtos embalados e processados (que são muito diferentes do seu formato original), com longa validade – mesmo que com alimentos perecíveis como carnes e vegetais na composição-, com longa lista de ingredientes impronunciáveis e até os rotulados saudáveis (ENRIQUECIDO com#DIET#LIGHT#ZER0#LIVRE de…).⠀⠀

⠀⠀

7 O bom não pode ser inimigo do ótimo: Ovo caipira é melhor do que o de granja? É! Mas comer ovo de granja já é mil vezes melhor do que #PÃO, muito mais nutritivo e até mais barato 💸. ⠀⠀

⠀⠀

8 Respeite suas necessidades fisiológicas: da mesma forma que dormimos ao sentir sono, nos agasalhamos al sentir frio, bebemos quando sentimos sede, COMA somente quando sentir #FOME (diferente de vontade né bem…). ⠀⠀

⠀⠀

E PRONTO! A #alimentaçãosaudável de verdade, não demanda muito tempo e/ou dinheiro 💰. Não é da moda, não tem mimimi e você consegue ser feliz sem precisar depender de produtos especiais ou “GRÃO mágico da vez que cura #diabetes e #emagrece” 😲⠀⠀

⠀⠀

É simples! E comida de verdade não confunde seu organismo. Humanos evoluíram comendo carnes, vegetais, raízes e frutas (o doce da natureza) e NÃO comendo pão, #tapioca, biscoitos, balas, refrigerante, sucos, barrinha de cereal, farinha, margarina, bolacha recheada, ou com mil sementes e grãos… 😉

Captura de Tela 2019-04-25 às 14.10.40

Banana Pode?

As pessoas estão sempre me perguntando o que devem comer/fazer para perder peso, para se sentir bem e resgatar o prazer e finalmente ficar em paz com a comida e feliz com o corpo.

Mas existem muitas nuances para considerar quando eu faço um plano alimentar, e cada pessoa é diferente.

Eu sei o que funciona pra mim e como eu ajudei centenas de pessoas nos últimos anos, tenho uma intuição forte sobre o que deve funcionar para a maioria.

Para isso, tenho 4 PERGUNTAS que vão te dar um excelente caminho a seguir se você for honesta.

Só que antes, você deve “entender”. Não existe um elemento mágico na dieta.

Assim como os alimentos são mais que a soma de seus nutrientes, os padrões alimentares parecem ser mais que a soma dos alimentos que os compreendem.

Se conseguir se limitar a comer quase sempre comida, qualquer que seja ela, e não comer demasiadamente, você provavelmente estará bem. Uma lição que se pode tirar da incrível diversidade das dietas tradicionais que alimentam os povos mundo afora é que as pessoas podem se nutrir com uma variedade espantosa de alimentos, desde que sejam comida.

Existem dietas saudáveis com muita gordura e com pouca gordura, e isso é possível desde que elas sejam estabelecidas em torno de alimentos integrais e não de produtos alimentícios altamente processados.

Mas há alguns alimentos integrais melhores do que outros (ovo por exemplo em comparação com arroz), e algumas formas de produzi-los e depois combiná-los em refeições, em que vale a pena prestar atenção.

Há questões que devem ser levadas em conta quando se escolhe “O” ou “OS” alimentos (combinado ou não): sabor, saciedade proporcionada, prazer…

Aqui estão as quatro perguntas que oriento a fazer quando pensam no velho “Pode ou Não Pode”:

1 Minhas escolhas satisfazem minhas necessidades (saciedade, prazer, objetivos)?

2 Estou tranquila? (ou pode me tirar a paz e ficarei pensando nisso antes, durante e depois de comer).

3 É saudável? (Se a resposta da 1 for positiva, é! – saudável tem + a ver contigo do que só o alimento).

4. Estou comendo isso cada vez mais? (Se sim, precisa trabalhar a mudança de comportamento com o mesmo). Sugiro que façam essas perguntas e escolham com sabedoria.

Texto inspirado no livro “Em Defesa da Comida – Michael Pollan”.

Captura de Tela 2019-04-09 às 11.40.37

Água com Limão Emagrece?

Se a vida te der limões 🍋 🍋🍋 é porque com certeza não emagrece… Se emagrecesse, tu nem ganhavas… custaria os 👀 da cara + 1 rim, além de não ser simplesmente “limão Taiti”, seria:

Limão azul da Pérsia – orgânico e plantado por fadas em noite de lua nova, colhido por camponesas ruivas, puras, virgens, usando túnica lilás lavanda em dia limpo de sol. Por isso a bagatela de R$👀+rim pra comprar 1 e ter efeito emagrecedor 🤦🏻‍♀️ mas se não tomar com água alcalina não funciona 🙄😑

.

Zoeira lolológico!!!

Porque sempre vai existir aquela “solução milagrosa” que blogayros e famosinhos do instagram usam, mas que custam um preço que você não pode pagar, ou não gostaria de pagar… mas PARA 🛑 tudo👉 Emagrece e cura o câncer 😒🤞 se tomar fazendo figa! Aaaa pare! Não caia nessas ladainhas!

Por conta disso sempre tem aquele que pergunta: porque você toma água com limão?

Crente que vai receber uma resposta com pó de fada 🧚‍♀️ tem a resposta:

“Porque eu gosto e deu vontade agora”. .

Não confunda as coisas!

É pra ser simples, não precisa ser complicado ou sacrificante.

Da mesma forma como um alimento não te engorda sozinho, não é um alimento que vai te emagrecer. E sempre se pergunte: “como chegamos até aqui SEM essas soluções milagrosas e malucas?” “Como tem gente que consegue sem elas?” Haha abra o olho! Pare de trocar ele por comida mágica 🍎 🧙‍♀️

thumbnail_large

Como Acelerar o Processo de Emagrecimento?

Essa pergunta é tão comum, que até parece disco furado…

.

O “segredo” que costumo orientar aos meus pacientes, para obterem resultados mais rápidos e duradouros, se trata de construir pilares sólidos de “mudança de hábitos”.

.

Porque é melhorando o que não está alinhado aos objetivos, que se obtém diferentes resultados.

.

Não existe atalho, nem mágica! Muito menos chás ou termogênicos que farão por ti, o que tu mesmo não faz.

.

Não é um alimento que te engorda ou que te emagrece. Mas sim todo um contexto.

O PROBLEMA é essa pressa toda, é o querer para ontem!

É O QUERER que as mudanças de uma semana ou um mês, já provoquem resultados extraordinários! Como se o teu corpo fosse um transformer… Mas isso é ilusão! Teu corpo demora para construir tecidos (mesmo o gorduroso), e o mesmo vale para “destruir” estes. Não é da noite para o dia, é de um conjunto de dias, meses e/ou anos.

.

E vai por mim, mudar hábitos, aderir novos e desapegar dos antigos, faz toda diferença!

.

Porque na tua mente não se trata de algo momentâneo, se trata de fazer diferente, se trata de uma escolha feita para a vida.

.

Assim tu poupas tempo, já que não há altos e baixos, não há picos de engorda e de emagrecimento. Não há confusão do que fazer para se “libertar” desse estresse. .

Porque uma mente consciente das alterações feitas, dos resultados obtidos e dos pontos que ainda podem ser melhorados, poupa tempo. Pois está sempre evoluindo, fazendo os ajustes e melhorias, enquanto o outro continua indo e voltando (sem sair do lugar). .

É isso a tal “COISA” que acelera o processo de emagrecimento.

.

O que fazer então? Pare de querer REMEDIAR maus hábitos que você ainda não escolheu mudar.

Você sabe onde está errando, e não é um “remédinho” que vai resolver tudo para SEMPRE.


Resultados para a vida, tem como BASE, os hábitos que aderimos durante a mesma. VOCÊ é resultado de todos os anos que se passaram.


doce

Para sentir menos vontade de DOCES, coma mais AMARGOS

No consultório é quase sempre a mesma história: “Nutri, o MEU PROBLEMA É O DOCE!”, “Como faço para reduzir a vontade de DOCE?” … Acredite, preferências alimentares são aprendidas, e esse aprendizado começa desde quando éramos fetos, influenciados pelas escolhas de nossas mães. .

Sobre a questão comportamental, é assunto para um próximo post. Vamos AO QUE INTERESSA!

.

Para sentir menos VONTADE DE DOCES:

1. Inclua mais alimentos AMARGOS e AZEDOS na sua alimentação. Adapte à rotina! Sempre leio/ouço de quem faz o #desafiodocafésemaçúcar que passou a comer menos doces, que mudou o paladar e que agora gosta ainda mais de café. Sabe por que isso acontece? O paladar perdeu a referência de “super doce”, passou a ser mais sensível à pequenas doses de adoçante, e assim requer menos açúcar ou estimulantes de papilas p/ sinalizar a percepção do sabor, logo, naturalmente essa pessoa vai comer menos açúcar no hábito. Continuará gostando de doces, mas não TÃO doce. Se voltar a comer mais doce, a referência de açúcar aumenta, as papilas vão ficando menos sensíveis e acabam sempre pedindo mais. Ou seja, tu estás no controle! O doce não é o problema, a forma como lidamos com nossas escolhas é.

2. Experimente os alimentos in natura em suas diversas fases e formas: sem nenhum processamento ou ação térmica (cru), cozido, assado, grelhado… sem temperos e com temperos. Faça isso (além de comer mais amargos e azedos) sempre que possível, pois te ajudará a aumentar a tua paleta de sabores.

SUGIRO: Faça um teste com o chocolate (de maior teor de cacau), com o café (beba amargo), ou com outros alimentos que costumas adicionar adoçantes (artificiais/açúcares). Não vai ser gostoso (confortável) no início, mas depois de um tempo, tu ficarás impressionado(a) com o sabor real dos alimentos e começarás a gostar de alimentos e combinações que nunca imaginou. É o tal do prazer em sentir mais sabor no mais simples. Fazendo escolhas de coração, em paz e sem privação.

Sabem aquela frase que eu sempre digo né? Vamos ver quem é seguidor sabido do “processo” ou “jornada” 🤔.

screen

“Nutri, vou viajar e AGORA?”

PORQUE não é igual em casa.

Você não encontrará as mesmas coisas.

Se escolher por comida in natura ou em sua forma original, não terá erro.

Mas quando esse alimento vier embalado, terá que se atentar ao rótulo do mesmo. 👉Leia rótulos para não cair em furada, porque muitas vezes os padrões estabelecidos de cada local, são diferentes do lugar onde vives.

Além do mais, a nomenclatura e/ou “tradução” da mesma, pode ser diferente de um local para outro.

Isso é muito comum e vale para tudo, não só para a comida. 👉Procure comprar em supermercados locais alguns snacks e alimentos práticos para levar consigo, tais como: -Vegetais (prepare cenoura e pepino em palito, tomatinhos…)

– Castanhas, amêndoas e outras nuts;

– Frutas in natura;

– Frutas desidratadas;

– Queijos;

– Carne desidratada ou defumada (naturalmente de preferência);

– Outras opções possíveis para salvar a fome quando precisar, como enroladinho de couve com queijo e copa ou salame… 👉Se tiver como cozinhar, melhor ainda (principalmente se tiver alguma intolerância ou alergia), assim você sabe exatamente o que tem na sua comida, prepara do jeito que gosta e até economiza uns trocados para gastar com outras coisas.

MAS ainda sim, se possível, não deixe de experimentar a culinária local. 👉Quando comer fora: experimente os pratos diferentes, procure variar. E sempre que necessário, verifique a possibilidade de fazer trocas inteligentes, como por exemplo, trocar a batata frita que acompanha o prato, por uma porção de vegetais e/ou salada.

Viu? Nada muito diferente do que você está acostumado a fazer em sua rotina.

Você sempre está no controle!

Suas escolhas são sua responsabilidade, você só precisa ter ciência das mesmas e de suas consequências.

A vida não vai parar para você fazer dieta, não use viagens, festas, quebras de rotina, outras pessoas e outras coisas diferentes da sua rotina, como desculpa para jacar geral.

A RESPONSABILIDADE é sua!

Se você quer de verdade, vai fazer e encontrar soluções para cada problema ou dificuldade.

A não ser que você esteja perdido numa ilha deserta. Não pera, nesse caso realmente não tem como furar ou jacar 😅😂

Captura de Tela 2019-03-29 às 13.35.48

COMER de 3 em 3 horas… Quebrando o MITO!

Será que você está fazendo errado?

Para ganhar peso, fracionar as refeições, é uma boa estratégia para conseguir dar conta do consumo.⠀

Ué “dizem” que pular refeições engorda! Confuso não? ⠀

Entenda:⠀

Se a pessoa quer perder peso, por que ela deveria comer o tempo todo? Mesmo sem sentir fome? ⠀

Dizem que “Se você comer frequentemente, você terá menos apetite na próxima refeição” então TALVEZ você venha a comer menos, e isso ajudará a “aumentar” seu metabolismo e também o gasto calórico”, do contrário, vai desacelerar. ⠀

Na verdade, o metabolismo não desacelera, mesmo se ficar até 3 dias (72 horas) sem comer nada, e ainda, ajuda a acelerar o metabolismo. ⠀

Veja nesses estudos: ⠀

http://bit.ly/3em3horas1

http://bit.ly/3em3horas2

http://bit.ly/3em3horas3

http://bit.ly/3em3horas4

http://bit.ly/3em3horas5

Está aí algumas evidências de que se alimentar com mais frequência não afeta a taxa metabólica basal e muito menos auxilia o emagrecimento.⠀

⠀⠀

Pq existem 2 estados metabólicos possíveis: o alimentado, e o não alimentado. ⠀⠀

Durante o estado alimentado, o corpo fica no “modo de armazenamento”, ele não precisa dos seus estoques de gordura para transformar em energia; enquanto que no estado NÃO alimentado, o corpo depende dos seus estoques. ⠀

⠀⠀

Se sua dieta é rica em industrializados e carboidratos (refinados, complexos, quaisquer sejam eles) e de baixa caloria, vai sentir FOME o tempo todo. Por isso, comer a cada 3 horas é necessário nesses casos, mas isso não significa que é o ideal.⠀

Pensa comigo: Dessa forma, você passa no mínimo 2/3 do tempo no “estado alimentado”, comendo a cada 2 ou 3 horas, o que impede o uso das suas reservas de gordura.⠀

Enquanto que em uma dieta naturalmente composta por teores maiores de gorduras e proteínas, caracterizadas por promover muita SACIEDADE, o hábito de comer de hora em hora é desnecessário, e a mesma, viabiliza horas sem sentir fome, sem comer, que promove a utilização das reservas (tecido gorduroso).⠀ ⠀

Porque comer comida de verdade in natura, ajuda a controlar seus níveis de hormônios que regulam a fome. Logo, passará a comer somente quando SENTE FOME de verdade e até que sinta saciedade.⠀

Para saber +: http://bit.ly/33horas

IMG_6182

Nutolla – uma receita que dá aquele toque de crocância.

O que é? Pra que serve? Pra comer purinha, com iogurte, com cremes, com sopa, com frutas, na salada, na comida mesmo… Essa é a #nutolla, uma versão mais gostosa (e nutritiva) do que a granola comum.

Receita e Modo de preparo:

1. Triture de leve, uns 5 tipos diferentes de oleaginosas (castanha-do-pará, nozes, avelã, castanha de caju, amêndoas laminadas) e misture com cranberry e chia, em torno de 100g de cada ingrediente. Se tiveres no armário algumas outras coisinhas esquecidas (sementes e nuts), adicione também!

2. Em seguida, adicione um fio de óleo de coco, um toque de canela e de sal ou adoçante (eritritol, xylitol – previamente batidos no liquidificador para virar pó) e de extrato de baunilha (se quiser e tiver);

3. Misture bem;

Já coloque o forno a pré-aquecer à 180oC.

4. Coloque em uma assadeira e pressione a mistura com a colher para nivelar.

5. Leve para assar por 60 minutos ou até dourar bem toda a porção. Durante esse tempo, retire a assadeira a cada 15 minutos, para mexer e nivelar novamente- garantindo assim, uma torra mais uniforme.

É simples assim 🙂

Faça a sua Nutolla, e depois me conta através dos comentários, o que achou dela. Beijos

IMG_6172

QUANTOS OVOS POSSO COMER POR DIA?

🐣

Ovo, um alimento da natureza tão completo, que gera uma vida!

Bolacha recheada, um alimento da indústria tão completo, que gera vício!

.

Por que mesmo, estamos preocupados com a quantidade de ovos por dia, e não com a quantidade de bolacha recheada e seus semelhantes? Clique aqui para entender mais sobre o que estou falando.

.

Perdemos a referência?

 

Desconfiamos tanto da natureza e agimos de maneira leviana com nossa saúde, ao nos alimentarmos atendendo mais nossos desejos, do que nossas necessidades. Perdemos a sabedoria do comer para ter saciedade, além da satisfação, e achamos normal sentir fome o tempo todo, como se fosse um defeito do organismo, cada vez mais sobrepesados e doentes, cada vez com fome mais insaciável… do outro lado, pessoas que estudam ciências da saúde, tentam nos convencer que o corpo é matemática, basta comer menos e gastar mais, a conta fecha! Mas o corpo não! Ele se cobra, com o objetivo de te manter vivo, aumenta a fome, e te deixa mais sonolento. Isso pode ser levado por um tempo, mas ninguém aguenta passar fome e ficar indisposto a vida inteira.

Não é mesmo?

.

Como mudar isso? Priorize comida da natureza que não tenha sido processada pela indústria.

Post Insta - ID Visual _ Djulye (10)

Margarina: Imitação barata de manteiga

O Nutricionismo chega ao mercado.

(Texto do livro “Em Defesa da Comida de Michael Pollan.).

Nenhuma ideia poderia ser mais favorável aos fabricantes de alimentos processados, o que justifica a alegria deles ao seguir o movimento do “nutricionismo”.

De fato, o nutricionismo fornece a principal justificativa para os alimentos processados, deixando implícito que, com uma aplicação judiciosa da ciência alimentar, os alimentos de imitação podem ser até mais nutritivos que os de verdade. Essa, obviamente, é a história da margarina, o primeiro alimento sintético importante a se insinuar em nossa dieta.

A margarina surgiu no século XIX como um sucedâneo barato e inferior da manteiga, mas com o surgimento da hipótese lipídica na década de 1950 os fabricantes logo imaginaram que o seu produto, com algum improviso, poderia ser anunciado como melhor – mais inteligente! – do que a manteiga: uma manteiga com os nutrientes maus retirados (colesterol e gorduras saturadas) e substituídos pelos bons (gorduras poliinsaturadas e depois vitaminas).

Toda vez que se comprovava faltar algum nutriente à margarina, este era acrescentado (Vitamina D? Já tem. Vitamina A? Claro, é para já.). Mas, naturalmente, a margarina, sendo produto não da natureza mas sim da engenhosidade humana, nunca poderia ser mais inteligente que os nutricionistas que ditavam sua receita.

O método engenhoso dos cientistas de alimentos para tornar o saudável óleo vegetal sólido em temperatura ambiente – incorporando hidrogênio – acabou produzindo perigosas gorduras trans, gorduras que agora sabemos serem mais perigosas do que as saturadas que elas foram concebidas para substituir. Mas a beleza de um alimento processado como a margarina, é que ele pode ser incessantemente modificado para superar até a mais constrangedora mudança de atitude no pensamento nutricional – incluindo a assustadora ideia de que seu principal ingrediente pode provocar ataque cardíaco e câncer. Então agora as gorduras trans desapareceram e a margarina segue em frente, impassível e aparentemente impossível de matar. Pena que não se possa dizer o mesmo de um número desconhecido de consumidores de margarina.